Está aqui

Dia Europeu do Antibiótico

Terça, 29 Outubro, 2019 - 14:30

O Dia Europeu dos Antibióticos comemora-se no dia 18 de Novembro.
Este dia tem por objetivo proporcionar uma oportunidade de sensibilização do público, em relação aos riscos para a saúde pública, decorrentes da utilização inadequada e excessiva de antibióticos, e, da consequente emergência de resistência microbiana aos antibióticos. Pretende-se assim, sublinhar a importância de usar os antibióticos de forma responsável e pôr termo ao seu consumo desnecessário.

O que são os antibióticos?
Os antibióticos, também conhecidos como agentes antimicrobianos, são medicamentos que matam ou impedem o crescimento de bactérias, ajudando a curar infeções em pessoas, animais e por vezes em plantas.
Os antibióticos servem para tratar infeções causadas por bactérias. A maioria das infeções respiratórias, como gripes, constipações, bronquites, faringites ou amigdalites são causadas por vírus e os medicamentos eficazes contra vírus são, normalmente, denominados medicamentos antivirais, pelo que não são indicados para o tratamento de infeções causadas por bactérias. Os antibióticos quando utilizados de forma incorreta, podem causar mais danos do que benefícios.

Qualquer antibiótico serve?
Nem todos os antibióticos atuam contra todas as bactérias. Existem diferentes classes de antibióticos que se diferenciam entre si pela sua estrutura química e pelo seu modo de ação contra as bactérias. Um antibiótico pode ser eficaz contra vários tipos de bactérias ou apenas um.

O que é a resistência aos antibióticos?
A resistência aos antibióticos é a capacidade das bactérias resistirem à ação de determinados antibióticos ao criarem defesas para eles. A resistência percebe-se quando determinados antibióticos deixam de conseguir matar as bactérias ou impedir o seu desenvolvimento.
Algumas bactérias são naturalmente resistentes a certos antibióticos (resistência intrínseca), mas um problema mais preocupante ocorre quando algumas bactérias, que eram normalmente suscetíveis aos antibióticos, desenvolvem resistência. Consequentemente, o aumento das resistências bacterianas conduz a infeções mais difíceis de tratar, podendo resultar em doenças mais prolongadas com hospitalizações mais demoradas e por vezes até a morte, o que exige antibióticos alternativos, mais dispendiosos e com efeitos secundários mais graves.
É importante salvaguardar que são as bactérias que se tornam resistentes aos antibióticos e não as pessoas.

Como travar a resistência aos antibióticos?
A solução passa por evitar, ou reduzir, as condições que favorecem o desenvolvimento de resistências, nomeadamente, o uso correto dos antibióticos, relembrando que os antibacterianos, servem exclusivamente para tratar infeções causadas por bactérias, logo não devem ser usados para tratar constipações ou gripes, porque estas são causadas por vírus. Parece uma situação lógica, mas é um dos casos mais comuns de mau uso de antibióticos.
Se não posso tomar antibióticos, o que posso fazer?
Aconselhe-se com o médico sobre que medicamentos podem aliviar os sintomas, como febre ou dores de cabeça; beba muitos líquidos e fique em repouso durante uns dias. Mantenha as suas vacinas em dia, embora as vacinas sejam sobretudo para doenças causadas por víru; o facto de reduzir a probabilidade de ter uma destas infeções também vai diminuir as idas ao médico e a possibilidade de tomar antibióticos indevidamente.
Lembre-se da importância de reforçar medidas de higiene: lavar as mãos sempre que usa a casa de banho, sempre que espirra ou assoa-se ou quando as mãos estão visivelmente sujas; antes de comer ou beber e de tocar em feridas; e, no caso dos doentes ou visitantes num hospital, antes de entrar e sair do quarto.

Quais as consequências para a saúde?
Durante muitas décadas os antibióticos curaram infeções potencialmente fatais. Porém, nos últimos anos, a utilização incorreta de antibióticos levou ao desenvolvimento e à propagação de bactérias resistentes a antibióticos. Quando as pessoas têm infeções causadas por bactérias resistentes, os antibióticos já não são eficazes no tratamento da infeção e a doença pode manter-se por mais tempo ou mesmo agravar-se. Permitir o desenvolvimento de resistência aos antibióticos é uma grave ameaça para a saúde pública, porque as bactérias resistentes podem propagar-se pela comunidade e os antibióticos disponíveis poderão não servir para tratar estas doenças.
O combate ao desenvolvimento de bactérias resistentes manterá a eficácia dos antibióticos para utilização pelas gerações futuras

Manter a eficácia dos antibióticos é uma responsabilidade de todos!

HSEIT - Gab Comunicação e Imagem / DSTI
webmaster@hseit.pt

Encarregado de Protecção de Dados
dpo.hseit@azores.gov.pt

Todos os direitos reservados:
HSEIT, EPER / 2012 - 2020
Ficha Técnica