Está aqui

Cuidados a ter este Natal

Quinta, 21 Dezembro, 2017 - 14:30

Embora o Natal seja uma festividade tradicionalmente cristã, abrange atualmente multidões de todas as culturas, tornando-se numa das maiores festividades a nível mundial.
Toda a economia que cresce em torno da época natalícia parece antecipar (com mais de um mês de antecedência) o dia de Natal, alimentando e aumentando, ainda mais, a magia de toda esta época. Passado todo o período de antecipação e preparação, eis que chega a véspera de natal. Conhecendo bem as tradições portuguesas, já pensou o que seria a noite da consoada sem o bacalhau à mesa? Conseguimos pensar no Natal sem associar imediatamente aos seus doces tradicionais? E as reuniões em família, seriam as mesmas se não existisse, tão perto de nós, uma mesa recheada dos mais variados alimentos e bebidas?
Já sabemos a resposta! De facto, é característico do Ser Humano (enquanto ser social) utilizar a alimentação como um meio para comunicar e conviver com outros indivíduos. Assim, naturalmente influenciados pelo espírito da quadra que dura 14 dias (até ao dia de reis), e o aumento do número de reuniões em família e amigos, somos conduzidos a um natural excesso de consumo de alimentos, nomeadamente, os com teores mais elevados de açúcar, gordura e gordura saturada.
O excesso de calorias estando garantido, o segredo para evitar um aumento significativo de peso, será ter a perceção da qualidade do que estamos a ingerir, definindo: a melhor altura para a ingestão dos doces típicos da época/festividade, a quantidade a ingerir e, quando será dispensável a sua ingestão. Mesmo assim, é provável um aumento de peso a curto prazo contudo, fazendo escolhas inteligentes, é possível recuperar o peso anterior mais rapidamente.

Para evitar um aumento excessivo de peso nesta época, é importante a adoção de algumas atitudes:

  1. 1. Evitar confecionar/adquirir doces em demasia, evitando a ingestão destes fora dos dias de festa.
    Pensemos da seguinte forma: o natal são 2 dias (24 e 25 de dezembro), o Ano Novo (31 de dezembro e 1 de janeiro) e se ainda incluirmos o dia de Reis (6 de janeiro), teremos um total de 5 dias em que a ingestão calórica provavelmente estará aumentada. Assim, em 14 dias reduzimos para 5 a ingestão aumentada de calorias.
  2. 2. Ingestão controlada e moderada de bebidas alcoólicas.
    Para além de acrescentar calorias ao dia alimentar (7 kcal por cada grama de álcool), este tipo de bebidas estimula o apetite1.
  3. 3. Não sair de casa com fome.
    Sendo as visitas a casa de família e amigos muito frequentes, evitar sair de casa com fome é uma boa estratégia para a diminuição da ingestão de alimentos mais calóricos. Por exemplo: a ingestão de sopa antes sair de casa para um jantar ou a realização de lanches nutricionalmente equilibrados, incluindo pão ou bolachas integrais, fruta e lacticínios.
  4. 4. Moderação no consumo de frutos oleaginosos (nozes, amendoins, pinhões…).
    A ingestão destes alimentos é saudável em quantidades moderadas (principalmente pelo fornecimento de ácidos gordos essenciais), contudo, não devemos esquecer que são frutos com uma densidade calórica elevada.
  5. 5. Realizar refeições de 3 em 3h.
    Fazer refeições com esta frequência, para além de permitir um bom controlo metabólico, aumenta a sensação de saciedade.
  6. 6. Não deixar de praticar exercício.
    A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda um mínimo de 30min de caminhada por dia.

Em suma, não é necessário abdicar da ingestão dos doces típicos da época se os incluir-mos de forma equilibrada no nosso dia alimentar. Desta forma, nem comprometemos a nossa saúde e bem-estar nem abdicámos das tradições e da partilha de momentos junto daqueles que mais gostamos.

Bibliografia

  1. 1. Mahan, L. Kathleen; Escott-Stump, Sylvia; Raymond, Janice L. – Krause, Food and Nutrition Therapy 12ª edição

HSEIT - Gab Comunicação e Imagem / DSTI
webmaster@hseit.pt

Encarregado de Protecção de Dados
dpo.hseit@azores.gov.pt

Todos os direitos reservados: HSEIT, EPER / 2012 - 2018
Ficha Técnica