Está aqui

Dia Nacional do Doente Coronário

Domingo, 14 Fevereiro, 2021 - 23:45 a Segunda, 15 Fevereiro, 2021 - 23:45

O Dia do Doente Coronário celebra-se todos os anos a 14 de fevereiro. A data foi institucionalizada pela Fundação Portuguesa de Cardiologia e comemora-se por todo o espaço da Comunidade Europeia.
A Doença Coronária é a mais prevalente das patologias cardiovasculares, sendo uma doença progressiva e a principal causa de morte prematura, provocando limitações físicas e perda da qualidade de vida da pessoa afetada.
Em Portugal a doença coronária aguda afeta 10 mil pessoas por ano, sendo que as doenças cardiovasculares se apresentam como a principal causa de morte na nação (cerca de 42% dos óbitos). Trata-se de uma doença do mundo ocidental e da sociedade moderna. As suas principais manifestações são: angina estável e instável e enfarte agudo do miocárdio. Numa fase mais precoce da vida, os homens apresentam um maior risco de doença coronária do que as mulheres. No entanto, depois da menopausa o risco da mulher acaba por igualar o do homem.
Os avanços quer no diagnóstico quer no processo de tratamento das doenças cardíacas, nomeadamente o enfarte agudo do miocárdio (EAM) são inegáveis, mas ainda assim a taxa de reincidência de episódios cardíacos é alta.
Por ocasião do Dia Nacional do Doente Coronário, o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) divulgou o registo, em 2019, de 676 doentes com Enfarte Agudo do Miocárdio (EAM) encaminhados através da Via Verde Coronária, aproveitando ainda a ocasião para recordar a importância de reconhecer os sintomas de um EAM e pedir de imediato ajuda através do Número Europeu de Emergência, 112.
O EAM é uma das principais causas de morte em Portugal, ocorrendo quando se dá uma interrupção súbita do fluxo de sangue nas artérias do coração (coronárias). A realização de exames médicos de rotina, os hábitos de vida saudáveis, a prática de desporto de forma regular, evitar o tabaco e a vida sedentária são algumas das formas de prevenção eficazes e acessíveis a todo o cidadão.
Alguns conselhos importantes para proceder perante a suspeita de um EAM: além de ligar 112 e responder a todas as questões que forem colocadas e cumprir as indicações dadas pelos operadores, é fundamental manter uma atitude calma, sentar o doente e evitar que este faça qualquer tipo de esforço físico como levantar-se, caminhar ou até falar.
Quanto maior for o conhecimento do cidadão sobre os sinais e sintomas de alerta do EAM e como utilizar o Número Europeu de Emergência – 112, mais eficiente será a atuação do INEM, daí a importância de se fazer chegar esta mensagem aos cidadãos.

Referências:
Ordem dos Enfermeiros
SNS

HSEIT - Gab Comunicação e Imagem / DSTI
webmaster@hseit.pt

Encarregado de Protecção de Dados
dpo.hseit@azores.gov.pt

Todos os direitos reservados:
HSEIT, EPER / 2012 - 2020
Ficha Técnica